Resenha - Garota exemplar, Gillian Flynnn

São poucas as vezes que alguns livros conseguem me deixar num estado de total hipnotismo e dependência por mais e mais pela última letra da última palavra da última página, que termine e complete o seu papel de me surpreender. E isso, sem sombra de dúvidas, aconteceu com Garota exemplar, um livro completamente surpreendente e surpreendentemente completo.

Amy Dunne protagonista da série de livros Amy exemplar (escrita por seus pais) sumiu misteriosamente na manhã do seu quinto aniversário de casamento, deixando para trás a porta da casa aberta e uma sala revirada com sinais de uma aparente luta. Tudo indica um sequestro, mas, enquanto a investigação progride todos as pistas levam a um único suspeito, Nick Dunne: o marido estranhamente evasivo, calmo e... assassino?

Seguindo uma trama de verdades que são mentiras e mentiras que são verdades entendemos o livro sobre o ponto de vista de Nick e, da mesma forma, somos apresentados às anotações do diário de Amy, que mesclam de um capítulo para cada um. Durante a leitura é fácil compreender que as divergências dos dois levam o leitor a um caminho de intrigas ardis que no final de tudo espoca na verdadeira solução do mistério.




Astúcia, intrigas, sarcasmo e inteligência são os berços que permeiam esse thriller primoroso. Mas Gillian não consegue apenas se satisfazer com esses adjetivos, dona de uma escrita inteligente e arrebatadora ela consegue moldar e isolar momentos cruciais da história para apenas revelá-lo na hora e na página certas. Nunca tinha lido um livro com personagens tão bem construídos e elaborados que chegam quase ser reais. Amy e Nick fazem doer a ferida daqueles que estão acostumados à simplicidade de uma leitura corriqueira. Eles são factuais.

Garota exemplar desmistifica o companheirismo, amizade e o amor que envolvem o casamento “perfeito”, transformando o casual e previsível num tear cheio de pontas que se emendam e se descosem nas mãos de uma tecelã hábil na formação de uma peça que se misturam em cores e fios. Assim, Gillian consegue construir um cenário repleto de cores apagadas e assustadoras capaz de desvendar os sentimentos e desejos mais indesejados da mente humana.

O final apesar de ter deixado a desejar não deixa corromper todo o caminho até ele. Penso que a autora quis fugir do que poderia ser clichê e possibilitou tudo e qualquer coisa menos o casual.

Incrivelmente bem escrito, com uma história extraordinariamente admirável: Garota exemplar consegue ter a medida certa de eletricidade, empolgação e interação com o leitor. Transformando-o - para usar as palavras certas - um livro sensacional!



Título original: Gone girl
Autor(a): Gillian Flynn
Editora: Intrínseca
Páginas: 446
Classificação:  


Um comentário

  1. Nossa, que tudo! Adoro livros que saem do padrão e abordam as questões de forma diferenciada!

    Abraços, Isabela.

    www.universodosleitores.com

    ResponderExcluir