Resenha - Garota Replay, Tammy Luciano

Thizi desde seus sete anos de idade não conta com a presença dos pais, eles vivem viajando pelo mundo deixando-a aos cuidados de Nil. Aos 20 anos, Thizi vive a vida que toda jovem gostaria de ter, moradora de um apartamento em frente ao mar na barra da tijuca, ela tem tudo o que quer e nunca precisou trabalhar. Nossa personagem com alma de adolescente tem sua vida conturbada, quando o inevitável acontece: seu namorado (Tadeu) a traiu, seu melhor amigo (Tito) tem a foto da traição, os dois se envolveram numa briga por causa dessa situação, e no término de toda essa ocasião Tadeu e um amigo em comum (Gabiru) sofrem um acidente de carro.

Diante dessas circunstâncias, Thizi se vê completamente sozinha, sem pais e, principalmente, sem seu melhor amigo Tito, quando resolve ir para a boate descontrair um pouco. E é quando tudo não poderia ficar mais estranho, que ela encontra uma replay. Tipo, como assim uma replay? Uma garota idêntica a ela, uma réplica que mais parecia original do que falsa: mais bonita, mais confiante, bem-vestida e cheia de atitude. Bem, o que você faria se se encontrasse com uma pessoa igual a você?



Através de uma narrativa leve e descontraída, desenvolvida no cenário do maravilhoso Rio de Janeiro, Tammy Luciano consegue transmitir todas as situações possíveis e prováveis que um romance teen bem bolado precisa ter: uma garota insegura, um amigo apaixonado e um cafajeste; Permeando todo o enredo com o mistério da tal replay. Não posso deixar de confessar que em certas partes do livro a personagem principal acaba deixando o leitor irritado com suas atitudes adolescente que não condiz com sua idade, colocando-o a xingar, esbravejar com as páginas nos momentos que faz as escolhas erradas. Isso realmente incomoda, mas um livro bom provoca reações das mais diversas, não é?
"Ser a gente mesmo pode não ser fácil, mas encarar quem somo é a melhor maneira de construir uma história de verdade".
Em certas partes do livro confesso que é fácil se dividir e se tornar apático em relação a Thizi, ela muitas vezes se mostra uma jovem superficial e suas atitudes REALMENTE incomodam o leitor. Bem, se pelo menos ela tivesse 15 ou 16 anos seria aceitável se comportar de determinadas formas. O fato também de a personagem reclamar sobre as qualidades da replay no sentido material e estético se tornam cansativas, pois é difícil encontrar qualquer disparidades entre as “Thizis” para gerar toda uma problemática nisso. Não tiro o crédito de que seria desconcertante você encontrar uma pessoa igual a você, mas se queixar do “quanto isso ela é...” ou “quanto aquilo é...”, vamos ver, não é?

Embora essas lacunas fiquem abertas durante a leitura é fácil situar-se ao virar a próxima página na expectativa de entender e desvendar de forma rápida todo o mistério sobre a garota replay. E para os curiosos em menos de duas horas lendo já vai ter descoberto tudo do livro. Tammy soube desenvolver o final do livro de maneira criativa esbanjando uma simplicidade ímpar, deixando sua obra longe do bom e velho clichê.
Garota Replay é um livro simpático no seu toque teen, cativante dos corações jovens e dos velhos de coração jovem. Passando uma mensagem positiva e totalmente atual. 
"Como somos capazes de traçar pequenas infelicidades por puro medo do gigantismo das enormes alegrias...".

Título: Garota Replay
Autor(a): Tammy Luciano
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 197
Classificação: 


Nenhum comentário

Postar um comentário