Resenha - Coisas que ninguém sabe, Alessandro D'Avenia

Ler Coisas que ninguém sabe foi uma surpresa que eu não esperava. Nunca pensei poder me entregar, apaixonar e ficar encantado por um livro. Alessandro D’avenia traz às páginas toda a sensação de um contato real com o leitor, como se ele pudesse traduzir poesia e dor no espaço mais ínfimo possível de uma pessoa. Carregado de uma escrita lírica, emotiva, inteligente ao extremo e, ao mesmo tempo, normal – sem precisar de muito – esse é um dos livros que se torna facilmente preferido nas listas dos mais desejados.

Conduzido por reflexão, beleza e habilidade que só um grande escritor possui, D’Avenia nos conta as dores, amores e desencontros da jovem Margherita em sua caminhada para transpor os desconfortos da puberdade; levando em suas experiências perguntas que a vida constitui para tapar as lacunas que a existência deixa para trás.


O livro foge da criatividade e de tudo aquilo que pode ser imaginativo e expectante, e é aí que D’Avenia traz o trunfo na manga para poder brincar, saborear e adestrar as palavras numa dança entre sentimentos, medos, esperanças e poesia. Colocando cor, luz e sal no comum. Provocando suspiros em cada conjunto de palavras elaboradas, fomentando e respondendo questionamentos da vida humana com o dom natural que o move escrever.
“Alegria e dor choram as mesmas lágrimas, são a madrepérola da vida, e o que importa na vida é manter intacto aquele pedacinho de coração, tão difícil de alcançar, tão difícil de escutar, tão difícil de dar, porque, ali, tudo é verdadeiro”.
Aos 14 anos, Margherita enfrenta seu primeiro ano de liceu (correspondente ao ensino médio) aonde vai se deparar com o infortúnio de abandonar as preocupações de apenas brincar e ser feliz de quando criança, começando entender que a vida pode ser alicerçada além das paredes de casa; agregando a partir de uma amizade verdadeira, do amor de um garoto misterioso e de um livro apresentado pelo professor amante dos grandes clássicos já escritos força para enfrentar a separação dos pais.
“Disso falamos, quando falamos de amor: de lágrimas [...] Talvez as do amor ferido, recolhidas todas juntas, formem um oceano mais vasto que as brotadas do amor correspondido. Talvez umas e outras se equilibrem, como as subidas e as descidas. São coisas que ninguém sabe”.
O autor constrói, homenageando de forma singular apaixonante, a arte de ensinar e os desdobramentos para emergir os sentimentos através das páginas dos livros. Trazendo alento, identifica que somos envolvidos, modificados e autores da nossa própria literatura da vida real.
”Um livro pode conter todo o caos do mundo, mas suas páginas são costuradas juntas e numeradas. O caos não foge dali. Organizar os próprios livros, dando-lhes a forma de seus interesses e perguntas, era um prazer incomum, que ele repetia diariamente para não se entediar demais. Acreditava nos livros com a fé que se tem em uma religião, encontrava mais realidade entre linhas que nas ruas, ou talvez tivesse medo de tocar a realidade diretamente, sem o escudo de um livro”.
Com sacadas únicas, abordando as questões do âmago de cada personagem Coisas que ninguém leva o leitor à consciência de que a vida não é constituída de momentos determinados, e sim, perpassa por terrenos dolorosos e de jubilo. Certamente que as questões abordadas no livro, como dor, amor, sentimento, morte e questionamentos universais estão todas limitadas à plenitude da vida que vão sendo dia a dia tentando serem respondidas com o devir, mas que foge a inteligência e ao entendimento por se tratar de coisas que ninguém sabe.



Título original: Cose che nessuno sa
Autor(a): Alessandro D'Avenia
Editora: Bertrand Brasil
Número de páginas: 376
Classificação: 

18 comentários

  1. Parece ser um livro bastante autêntico, bem diferente e também bastante íntimo. Parece ser do tipo que leitor e personagem se misturam. A Bertrand traz muitos livros fora do eixo padrão americano-inglês muito bons. Faltou apenas a sinopse na postagem.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Gostei bastante da sinopse e gosto de livros que falam nesse fase de transformação e mudanças em adolescentes onde vivem grandes sentimentos e aprendizados, Adorei as quotes , indo pesquisar mais para ler . abraços

    ResponderExcluir
  3. Eu nunca vi nada sobre esse livro e quando olhei a capa não fiquei muito interessada, mas lendo a sua resenha confesso que senti uma certa curiosidade em ler o livro, ele parece ser bem bacana, quem sabe algum dia, né? *-*

    Beijos :*
    Larissa - Srta. Bookaholic

    ResponderExcluir
  4. Nossa amei a resenha e com certeza taí um livro que vai para a minha lista por trazer ingredientes que gosto muito, como 1) o fato de você escrever que o autor homenageia de forma linda a arte de ensinar, sabe valorizo muito isto. 2) faz o paralelo e trabalha conteúdos inerentes à vida de todos nós em um momento ou outro, questões que fazem parte da condição de todo vivente. 3) Coloca o leitor em adulto em contato com vivências e questionamentos adolescentes e para o leitor adolescente parece deixar o recado: "Olha você não está sozinho(a)". Adorei.

    Beijos
    Tânia Bueno
    www.facesdaleiturataniabueno.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oie,

    Já vi esse livro acho que foi no Book Adict, e fiquei curiosa com ele, pois achei essa capa linda, e depois da tua resenha só me faz querer procurar ainda mais o livro, só acho um pouco caro os livros dessa editora por isso não sou muito adepta dela, mas com certeza pretendo comprar esse livro algum dia.

    Mayla

    ResponderExcluir
  6. Oi Diogo
    Não conhecia esse livro e nem que tinha sido publicado pela Bertrand, mas gostei da premissa dele e acho que vou ler sim. Sua resenha destacou pontos que me chamaram a atenção e fizeram com que eu anseie por esse livro. A capa é belíssima.

    Beijos,
    www.leitorasempre.com

    ResponderExcluir
  7. Oi,
    Não conhecia o livro. Coisas que ninguém sabe seria o típico livro que me fascinaria, pela escrita, pela intimidade criada com o leitor e pela proximidade. Sou fã desses livros que nos refletem a sensação de que não estamos sozinhos. Esse livro parece ser maravilhoso. Quero ler :)
    Vou ver se compro!

    Abraços
    Adriano Gutemberg
    GeraçãoLeitura.com

    ResponderExcluir
  8. Essa parece uma história bem profunda, tocante,densa.
    Eu não conhecia o livro, mas mesmo ciente dos assuntos que ele trata e reflexões que desperta, não consegui me interessar pela leitura.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  9. Nunca tinha ouvido falar desse autor e também não tinha visto a capa do livro. Apesar de toda sua paixão falando sobre ele, não consegui ficar interessada. Acho que estou num momento complicado, em que prefiro leituras mais tranquilas e rasas pra distrair a mente.
    Beijinhos!
    Giulia - Prazer, me chamo Livro

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia o livro, mas o título, a capa e a sua resenha fizeram com que eu me interessasse bastante por ele! Adorei o fato do autor homenagear a arte de ensinar, e também curti demais as questões que ele aborda.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  11. Olá, comecei lendo a resenha com uma visão do livro e terminei com outra. Fui conquistado ali pelo meio, não conhecia a obra e fiquei bem curioso por conhecer um pouquinho mais sobre a história. Espero poder ler o quanto antes.

    Abraço!
    www.umomt.com

    ResponderExcluir
  12. Oi Diogo, tudo bem?
    Nossa, que palavras fortes, parece que o livro realmente lhe tocou. É tão bom quando pegamos um livro sem expectativas e nos vemos depois super envolvidos nele. E quando nos deixa um ensinamento, uma experiência, é tão gratificante!!!!!!
    Não conhecia essa obra ainda, boa dica de leitura.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. UAU!
    Sua resenha está tão instigante, que eu leria o livro, nesse exato momento rsrs
    Não conhecia o livro, mas me parece ser ótimo!
    Adorei de verdade sua resenha! Já quero ler!

    Beijos!
    http://aculpaedosleitores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi Diogo,

    eu não conhecia esse livro, achei a história bem legal e gostaria de lê-lo em um momento.

    Beijos,

    Beijos,

    --
    Priscila Yume
    http://yumeeoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Adoreiiiiiiiiiiii a resenha, despertou minha curiosidade e eu adoro livros que falam de livros, quando a literatura se cita, é uma das coisas que fazem nos apaixonar e nos identificamos!
    Beijos!
    Paulinha Juliana - Overdose Literária
    http://overdoselite.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Sim, alguns livros tem a capacidade de nos tocar de uma forma única e parece que foi exatamente o que aconteceu com você. Não conhecia o autor, nem sequer tinha visto a capa antes - ela é linda e eu teria me recordado. Sua resenha foi bem tocante e apesar de me parecer uma história incrível, não me chamou a atenção..

    Beeijinho. Dreeh
    Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
  17. Oi,
    Ainda não conhecia o livro, logo de cara não conseguiria imaginar como seria sua possível história.
    A jovem nessa fase que muitas vezes é tão complicada e repleta de incertezas, mas aqui o autor nos traz algo diferente do que estamos acostumados a encontrar nos livros com história nesse possível perfil.
    O que me encantou foi a homenagem que o autor fez para a arte de ensinar.
    Enfim uma ótima dica que já entrou na minha lista.


    Beijos Mari - Stories And Advice

    ResponderExcluir
  18. Nosssa, fiquei apaixonado por esse livro, só de ler sua resenha fiquei arrepiado kkkkk, primeiramente essa capa maravilhosa e depois essa história tão intensa e emocionante, pela sua resenha eu percebi que o livro te tocou e te emocionou bastante, vou pesquisar outras resenhas, amo livros deste tipo e quem sabe eu compre meu exemplar rsrs, amei a dica, Abraços.

    ResponderExcluir