Resenha - No escuro, Elizabeth Haynes

As melhores leituras são aquelas que conseguem arrebatar sua atenção de tal forma que você nem percebe o envolvimento acometido a não ser quando já se sente parte dos sentimentos e ações dos personagens da história. No escuro é um livro que faz isso com você: envolve, assombra e inquieta. Totalmente bem escrito, Elizabeth Haynes consegue te levar a dimensões de ansiedade e angústia característicos dos melhores thrillers psicológicos.

A garota segura de si, de encontros casuais com as amigas e de pegações sem compromisso nos fins das noites badaladas, não existe mais. Hoje, só se encontra espaço para aquilo que sobrou de Catherine: insegurança, medo e falta de tempo. Catherine sofre de TOC (Transtorno obsessivo-compulsivo), e, tarefas como fechar uma porta e sair de casa, não são mais tão fáceis como já fora um dia. Conferir uma, duas, três vezes? Não! Talvez não esteja bem trancada. Quatro! Será que eu fechei mesmo? Cinco, Seis. Talvez devesse conferir de novo… 

 "Eu queria ver TV. Mas o pânico persistia, apesar de eu tentar ser racional, apesar de dizer a mim mesma que fizera tudo, verificara tudo, que não havia nada com que me preocupar, o apartamento estava protegido, eu estava segura, mais um dia em segurança dentro de casa."
Cathy nem sempre foi do jeito que é agora, sua vida praticamente é dividida em “antes” e “depois” de conhecer Lee. Um homem alto, musculoso, com olhos azuis que irradiam calor e charme, o típico sonho de qualquer mulher. Ou, assim, pensava Cathy. Os rituais adquiridos por nossa personagem vieram do seu relacionamento nada saudável com Lee. Aquilo que parecia ser promissor e início de um romance regado de carinho e sexo veio por água abaixo com o passar do tempo. A possessividade, controle e violência tomaram conta de sua vida a partir de que Lee se mostrou quem realmente é.
“Quando abri os olhos, meu primeiro pensamento foi: Hoje eu vou morrer. Eu sabia disso por causa das dores. Haviam atingido outro nível, vindo em minha direção como um trem a partir do instante em que abri os olhos. Eu tremia, suave e, embora devesse ter passado horas entre a consciência e a inconsciência, de repente a realidade me atingiu com clareza e eu soube que morreria”
Narrado em primeira pessoa alternando entre passado e presente No escuro é um retrato característico das possibilidades humanas. Ao ler esse livro você terá seu olhar diferenciado para algumas circunstâncias que julga-se ser fácil de passar. O livro é, desde o início, livre de capítulos apenas separado por datas que vão familiarizando e situando o leitor com tudo o que aconteceu a personagem. Toda destreza de palavras, pensamentos e atitudes fazem o leitor buscar pelo real motivo do “O que aconteceu para que Cathy ficasse assim?” num frenesi que estimulam o imaginário a cada página. 

Com uma história amarrada e totalmente completa esse livro consegue suprir qualquer expectativa durante a leitura. Todos os eventos propostos são explicados sem deixar qualquer tipo de dúvida na cabeça do leitor, Haynes consegue através da sua escrita pulsante, em seu romance de estreia, despertar a curiosidade, assustando, envolvendo, chocando e garantindo seu lugar de melhores lido do ano. Recomendadíssimo! 
"São momentos assim que identifico como perigosos. O medo que permeia minha vida de repente atinge um patamar mais elevado e minha exisência se torna um esforço inútil, um desafio árduo demais."

Nenhum comentário

Postar um comentário