CRÍTICA - BATMAN vs SUPERMAN: A ORIGEM DA JUSTIÇA

Batman vs Superman: a origem da justiça
Direção: Zack Snyder.
Ano: 2016.

Os poderes sobre humanos do Super-homem (Henry Cavill) são colocados em pauta, quando sua luta com Zod (Michael Shannon) deixa milhares de mortos na cidade de Metrópoles. Entre os que estão em desacordo da existência colaborativa desse “extraterrestre”, está Bruce Wayne (Ben Affleck), que entrará, ilegalmente, em uma pesquisa nos laboratórios de Lex Luthor (Jesse Eisenberg) para descobrir sobre esses super-humanos e achar uma forma de eliminar o super-homem, considerado não mais um deus e sim um risco para a humanidade.

Um dos lançamentos de super-heróis mais esperados do ano, chegou dividindo o público. De um lado os que ovacionaram o longa, do outro, aqueles que acharam que poderia ter sido muito mais. As bilheterias esclarecem, já que houve uma queda notável na segunda semana do filme.

Batman vs Superman 2016 foto. © Warner Bros. France
Com 2h33min Batman vs Superman: a origem da justiça não foi de todo bom. As cenas soam rápidas e sem desenvolvimento, principalmente na primeira hora de filme, antes do ápice, que é a batalha.  O que deixa uma grande abertura para tal desenvolvimento, podendo o filme ter sido dividido, ficando mais curto, melhor estruturado e menos monótono e cansativo no início.

O longa que antecede A origem da Justiça, O Homem de Aço, também dirigido por Snyder, mostra-se melhor desenvolvido, tendo sido utilizado nos momentos iniciais do longa, mostrando a perspectiva de Bruce Wayne; um contraste entre um ser considerado um deus e um mero mortal. Foi interessante colocar tal perspectiva, pois aborda um outro motivo que impulsionou o surgimento do Batman, além do já conhecido.

Um dos pontos altos, com toda certeza (além da batalha entre os personagens principais, claro) é a entrada da Mulher Maravilha, e sua posição na luta, no centro, entre os homens, mostrando que chegou para mudar o curso da situação, de fato. Antes disso, há a descoberta dos arquivos secretos de Lex Luthor, que exibem outros seres extraordinários, dentre eles o Aquaman (interpretado por Jason Momoa, o Kal Drogo de Game of Thornes). Aos curiosos, já deu para ter uma prévia do personagem e ficar na expectativa para o filme solo.

Batman vs Superman 2016 foto. © Warner Bros Entertainment
Mas nem tudo está perdido: o terço final do filme nos faz ficar eretos na cadeira, com batalhas acirradas entre o Super-homem e o Batman, com tons de divertimento em algumas partes, para ver quem era o mais forte. Além da batalha secundária, onde a criatura de Krypton, revivida por Luthor entra em ação. A iluminação em tons sombrios externa o clima dos personagens principais, além da sonoplastia e da trilha sonora que foram espetaculares.

Ficamos também no aguardo, de uma batalha verdadeiramente épica que está para chegar no final de abril, com Capitão América: Guerra Civil. Esperando de verdade que as expectativas sejam bem (bem muito) superadas. 

Confira o trailer, anime-se e vá conferir nos cinemas: 



Resenha por Lucyanna Melo

Nenhum comentário

Postar um comentário